Proprietários de açude entram com ação contra lixão da Prefeitura de Crateús

Relatório feito por geógrafo aponta riscos de poluição no açude de propriedade privada

No ano de 2017, diante de grande crise hídrica no município de Crateús, o açude São Francisco, de propriedade privada, localizado em fazenda de mesmo, foi de grande ajuda para ajudar no abastecimento. Entretanto, um local utilizado para despejo de lixo, organizado pela Prefeitura de Crateús tem causado preocupação aos proprietários do açude.

De acordo com um relatório feito pelo geógrafo Ewerton Torres Melo, “o lixo é despejado a céu aberto em um local onde é possível o chorume oriundo do lixo acumulado ser carreado pelas águas das chuvas para a rede de drenagem que forma o riacho Baié, principal riacho que bastece o açude”.

Os proprietários do açude afirmam que a denúncia foi protocolada no Ministério Público do Ceará ainda neste mês de janeiro. De acordo com informações da assessoria jurídica da Prefeitura, o lixo só está sendo colocado no local por causa de movimentos sociais no local chamado Riacho dos Cavalos, em agosto do ano passado, onde funcionava o antigo lixão municipal.

“A prefeitura teve que entrar com reintegração de posse. Nesta demora a Prefeitura teve que arranjar outro local, na Fazenda do Tetéu. Como já estava sendo colocado lá, o Juiz achou por bem determinar que fosse mantido colocar o lixo lá, e deixando o antigo local embargado provisoriamente enquanto resolvia a questão do processo que está em andamento”, disse o procurador Dr. Emanoel Castro.

Repórter: Nathan Loyola

 

Facebook Comments
error: Use o link do post para compartilhar!
Fechar