Home / Destaques / Com nota 920 na redação, PM do Ceará é aprovado em Medicina e vira “celebridade” em cidade do interior
o jovem que no início estava na dúvida sobre ir para faculdade, decidiu seguir os conselhos dos mais próximos e deverá se matricular na UFCG em breve (Foto: Agência Miséria )

Com nota 920 na redação, PM do Ceará é aprovado em Medicina e vira “celebridade” em cidade do interior

O soldado da Polícia Militar do Ceará, Ranielson Amâncio de Moura, 26, virou uma celebridade na cidade onde mora, Santana de Mangueira, na Paraíba. Em plena ativa na PM, o jovem conseguiu ser aprovado no curso de medicina na Universidade Federal de Campina Grande, um feito inédito na cidade.

Filho de agricultores, Ranilelson estudou a vida inteira em escola pública e atribui o incentivo e o gosto pela leitura aos pais. O policial diz que não tinha rotina de estudos na preparação do Enem, e aproveitava as folgas do trabalho para manter as leituras em dia. “Em 2018 escrevi cerca de 60 redações como treino”, contou ao Miséria. 

Há seis anos na polícia, hoje é lotado no destacamento de Mauriti. Os estudos de Ranielson na verdade não eram para se tornar médico, o intuito sempre foi ser aprovado para o quadro de oficiais na PM da Paraíba usando a nota do Enem. Com isso, faria o curso preparatório e seria formado tenente no futuro. 

Ao ver que tinha ficado com média 751 e tirado 920 na redação, percebeu que poderia ser aprovado no curso mais concorrido da universidade. Como cotista de escola pública, aplicou a primeira opção no Sisu e foi aprovado.

Entre ligações do prefeito de Santana de Mangueira e reconhecimento na rua, Ranielson conta que “virou uma estrela” na pequena cidade de pouco mais de 5 mil habitantes. Os pais, ele diz, custaram a acreditar na conquista.

Depois de refletir bem, o soldado que no início estava na dúvida sobre ir para faculdade, decidiu seguir os conselhos dos mais próximos e deverá se matricular na UFCG em breve. Para seguir no curso, contará com a ajuda dos comandantes para incluí-lo em escalas que não o prejudique nas aulas. 

Por Felipe Azevedo/Agência Miséria
Miséria.com.br

Facebook Comments
error: USE OS BOTÕES DE COMPARTILHAMENTO